terça-feira, 23 de maio de 2017

AUTISMO - TEORIA DA MENTE

Imagem relacionada



Teoria da Mente (TOM) é a habilidade de fazer suposições precisas sobre o que os outros pensam ou sentem e que nos ajuda a prever o que farão. Aptidão importante para o convívio social e que é adquirida por volta dos 4 anos em um desenvolvimento típico e crianças com autismo desenvolvem posteriormente.

Podemos perceber a dificuldade de TOM em crianças autistas nas corriqueiras tarefas:

-Apontar coisas para outros.
-Estabelecer contato visual.
-Seguir os olhos de outro indivíduo quando esse está falando sobre aquilo que estão olhando.
-Usar gestos para comunicar-se.
-Entender as emoções no rosto alheio.
-Usar variação normal de expressões emocionais no próprio rosto.
-Mostrar interesse em outras crianças.
-Saber como envolver-se com outras crianças.
-Manter-se calma quando se sente frustrada.
-Entender que alguém pode ajudá-la.
-Entender como os outros se sentem em algumas situações (por exemplo, irritado ou amedrontado).

A medida que vão crescendo essa falta de habilidade já é demonstrada de outras maneiras:

-Tendência a pensar sobre o mundo de seu próprio ponto de vista, o que a faz parecer uma pessoa egoísta.
-Tendência a participar de atividades que não dependem de outras pessoas
-Foco apenas em suas necessidades
-Dificuldade em compreender a emoção alheia, portanto há uma falta de empatia
-Necessidade de estar no controle
-Falta de flexibilidade em interações
-Uso de regras sociais de forma rígida em vez de regras adaptáveis
-Tendência a mais receber do que dar (no dar/receber de relacionamentos)
-Problema com revesamento
-Tendência a tratar as pessoas igualmente, sem saber diferenciar idade ou autoridade
-Ser facilmente levado por outros em consequência de sua dificuldade de entender os motivos alheios
-Tendência a relacionar-se melhor com adultos, pois estes são mais previsíveis e podem ser mais tolerantes
-Dificuldade com brincadeiras de faz de conta e de entender o fato de contar mentiras
-Dificuldade em entender que seu comportamento afeta a maneira como os outros pensam ou sentem
-Dificuldade em entender sobre compartilhar entusiasmo, prazer ou pertences
-Tendência a falar excessivamente sobre determinado tópico de seu interesse sem considerar a opinião do ouvinte (por exemplo falta de interesse ou tédio de quem escuta)


Vendo essas características acima percebemos que autistas são julgados erroneamente como egoístas e muitos chegam a achar que eles não gostam de se relacionar com as pessoas por não terem capacidade de amar, o que é um absurdo pois eles são muito afetuosos.
Se tentarmos imaginar a dificuldade de compreender como alguém se sente ou pensa ou de levar em conta seu ponto de vista, percebemos como o mundo deve parecer confuso e assustador e como as interações sociais devem ser difíceis.
Mas é claro que nós podemos ajudá-los a melhorar essas habilidades sociais e podemos fazer isso de forma super prazerosa!

Algumas dicas são:

- Brincar de esconde-esconde (aqui vc tem que pensar onde seria difícil pra outra pessoa te encontrar, tem que prever acontecimentos)
- Brincar de teatro (cada um é uma personagem e juntos podem construir como ela pensa, age, veste, etc)

- Jogo de mímica em que um finge que é algo pro outro adivinhar ( a criança tem que se colocar no lugar da personagem, bicho, etc para imitá-lo)
- Jogo de perguntas para dedução ( A Criança vai ter que analisar as perguntas para ver qual resposta se encaixa melhor)
- Planejar programas em família! (pensar no que cada um gostaria, no que pode acontecer e prevenir se pode acontecer algo inesperado como uma chuva… se acontecer, o que fazer?)
- Adivinhações e enigmas (o que é o que é, qual é a música, qual é o filme, brincar de detetive)
- Piadas
- Ver filmes, desenhos ou novelas juntos para explicar as brincadeiras (senso de humor) e o sarcasmo e também os sentimentos (porque a personagem chorou ou ficou preocupada?)
- Colocar figuras em ordem para formar uma historinha (previsibilidade)
- Quebra cabeças (previsibilidade)
- Jogos de tabuleiros (previsibilidade, esportiva, saber lidar com frustração e espera)
- Jogos geradores de conversas como o Puxa Conversa e o o que você faria, vendidos em livrarias.
- Playmobil (Se colocar no lugar de personagens em castelos, florestas, etc)
- Vídeo game (previsibilidade, frustração, persistência – cuidado para não virar isolamento… junte-se!)
- Criar funções diferentes pro mesmo objeto (banana vira telefone, vira uma meia lua, etc)
- Desenhar rostos no quadro ou caderno de acordo com o sentimento falado ou a história contada
Fonte: http://www.estouautista.com.br/index.php/2014/06/

sábado, 1 de abril de 2017

TEXTOS PARA TRABALHAR COM O TEMA "PÁSCOA"

As origens do termo 
    A Páscoa, que significa passagem, é uma das datas comemorativas mais importantes e antigas entre as culturas ocidentais.
 Segundo historiadores, há milhares de anos atrás algumas sociedades, entre elas a grega, já festejavam a passagem do inverno para a primavera, durante o mês de março.
   Entre os povos da Antiguidade, o fim do inverno e o começo da primavera eram de extrema importância, pois estava ligado a maiores chances de sobrevivência em função do rigoroso inverno que castigava a Europa, dificultando a produção de alimentos.

    A figura do coelho da Páscoa foi trazida para a América pelos imigrantes alemães, entre o final do século XVII e início do XVIII, por representar a fertilidade. O coelho se reproduz rapidamente e em grandes quantidades. Entre os povos da antiguidade, a fertilidade era sinônimo de preservação da espécie e melhores condições de vida, numa época onde o índice de mortalidade era altíssimo. No Egito Antigo, por exemplo, o coelho representava o nascimento e a esperança de novas vidas.
    Mas o que a reprodução tem a ver com os significados religiosos da Páscoa? Tanto no significado judeu quanto no cristão, esta data relaciona-se com a esperança de uma vida nova. 
Confira algumas sugestões de textos para trabalhar o tema Páscoa de forma interdisciplinar.



O que é?  O que é?
Tem bico de pato, mas não é pato;
 tem patas membranosas, mas não é peixe.

 bota ovos, é não é um mamífero.
 Não venha me dizer que é o coelhinho da Páscoa, porque coelhos são mamíferos mas, não colocam ovos.
Este animal existe, vive na Austrália, Tasmânia e Nova Zelândia  e se chama ORNITORRINCO.
Nome Científico Ornithorhynchus anatinus.
Ele passa a maior parte do tempo nadando nos rios e lagos de água doce, tem o corpo coberto de pelo,  patas com membranas entre os dedos, cauda achatada e coloca OVOS. Ao nascer, os filhotes mamam do leite que escorre dos pelos da mãe pelos poros abdominais, pois esta não tem tetas. Os machos possuem esporões venenosos nas patas posteriores. O veneno é produzido durante a época reprodutiva e provavelmente, é usado para defender território.
Além de exótico, ornitorrinco é muito venenoso.
http://3.bp.blogspot.com/--NoBjOztJ4Y/UViZf5VzdQI/AAAAAAAAIX4/OE6ZNgSfDTo/s1600/48093_564445470246477_967032378_n.jpg
Resultado de imagem para ornitorrinco










http://www.anda.jor.br/06/04/2010/ajude-a-acabar-com-o-abandono-de-coelhos-em-florianopolis-sc