terça-feira, 23 de maio de 2017

AUTISMO - TEORIA DA MENTE

Imagem relacionada



Teoria da Mente (TOM) é a habilidade de fazer suposições precisas sobre o que os outros pensam ou sentem e que nos ajuda a prever o que farão. Aptidão importante para o convívio social e que é adquirida por volta dos 4 anos em um desenvolvimento típico e crianças com autismo desenvolvem posteriormente.

Podemos perceber a dificuldade de TOM em crianças autistas nas corriqueiras tarefas:

-Apontar coisas para outros.
-Estabelecer contato visual.
-Seguir os olhos de outro indivíduo quando esse está falando sobre aquilo que estão olhando.
-Usar gestos para comunicar-se.
-Entender as emoções no rosto alheio.
-Usar variação normal de expressões emocionais no próprio rosto.
-Mostrar interesse em outras crianças.
-Saber como envolver-se com outras crianças.
-Manter-se calma quando se sente frustrada.
-Entender que alguém pode ajudá-la.
-Entender como os outros se sentem em algumas situações (por exemplo, irritado ou amedrontado).

A medida que vão crescendo essa falta de habilidade já é demonstrada de outras maneiras:

-Tendência a pensar sobre o mundo de seu próprio ponto de vista, o que a faz parecer uma pessoa egoísta.
-Tendência a participar de atividades que não dependem de outras pessoas
-Foco apenas em suas necessidades
-Dificuldade em compreender a emoção alheia, portanto há uma falta de empatia
-Necessidade de estar no controle
-Falta de flexibilidade em interações
-Uso de regras sociais de forma rígida em vez de regras adaptáveis
-Tendência a mais receber do que dar (no dar/receber de relacionamentos)
-Problema com revesamento
-Tendência a tratar as pessoas igualmente, sem saber diferenciar idade ou autoridade
-Ser facilmente levado por outros em consequência de sua dificuldade de entender os motivos alheios
-Tendência a relacionar-se melhor com adultos, pois estes são mais previsíveis e podem ser mais tolerantes
-Dificuldade com brincadeiras de faz de conta e de entender o fato de contar mentiras
-Dificuldade em entender que seu comportamento afeta a maneira como os outros pensam ou sentem
-Dificuldade em entender sobre compartilhar entusiasmo, prazer ou pertences
-Tendência a falar excessivamente sobre determinado tópico de seu interesse sem considerar a opinião do ouvinte (por exemplo falta de interesse ou tédio de quem escuta)


Vendo essas características acima percebemos que autistas são julgados erroneamente como egoístas e muitos chegam a achar que eles não gostam de se relacionar com as pessoas por não terem capacidade de amar, o que é um absurdo pois eles são muito afetuosos.
Se tentarmos imaginar a dificuldade de compreender como alguém se sente ou pensa ou de levar em conta seu ponto de vista, percebemos como o mundo deve parecer confuso e assustador e como as interações sociais devem ser difíceis.
Mas é claro que nós podemos ajudá-los a melhorar essas habilidades sociais e podemos fazer isso de forma super prazerosa!

Algumas dicas são:

- Brincar de esconde-esconde (aqui vc tem que pensar onde seria difícil pra outra pessoa te encontrar, tem que prever acontecimentos)
- Brincar de teatro (cada um é uma personagem e juntos podem construir como ela pensa, age, veste, etc)

- Jogo de mímica em que um finge que é algo pro outro adivinhar ( a criança tem que se colocar no lugar da personagem, bicho, etc para imitá-lo)
- Jogo de perguntas para dedução ( A Criança vai ter que analisar as perguntas para ver qual resposta se encaixa melhor)
- Planejar programas em família! (pensar no que cada um gostaria, no que pode acontecer e prevenir se pode acontecer algo inesperado como uma chuva… se acontecer, o que fazer?)
- Adivinhações e enigmas (o que é o que é, qual é a música, qual é o filme, brincar de detetive)
- Piadas
- Ver filmes, desenhos ou novelas juntos para explicar as brincadeiras (senso de humor) e o sarcasmo e também os sentimentos (porque a personagem chorou ou ficou preocupada?)
- Colocar figuras em ordem para formar uma historinha (previsibilidade)
- Quebra cabeças (previsibilidade)
- Jogos de tabuleiros (previsibilidade, esportiva, saber lidar com frustração e espera)
- Jogos geradores de conversas como o Puxa Conversa e o o que você faria, vendidos em livrarias.
- Playmobil (Se colocar no lugar de personagens em castelos, florestas, etc)
- Vídeo game (previsibilidade, frustração, persistência – cuidado para não virar isolamento… junte-se!)
- Criar funções diferentes pro mesmo objeto (banana vira telefone, vira uma meia lua, etc)
- Desenhar rostos no quadro ou caderno de acordo com o sentimento falado ou a história contada
Fonte: http://www.estouautista.com.br/index.php/2014/06/